Presidente da Assembleia comenta avanços na situação do Aeroporto José Coleto de Ji-Paraná

 

Porto Velho, RO – Uma demanda judicial referente a uma área próxima ao Aeroporto José Coleto de Ji-Paraná seria uma das razões para a demora da instalação da Cerca Patrimonial Projetada, conforme exigem os padrões da ANAC.

A informação foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) durante reunião com o diretor do DER, Erasmo Meireles e Sá, na manhã desta terça-feira (14).

A cerca deverá ser instalada no limite da área operacional do aeroporto para que o local possa receber investimentos que permitam que aeronaves possam aterrissar e decolar por instrumentos.

“O responsável pela Coordenadoria de Infraestrutura Aeroportuária (CIA), coronel Leal, esteve comigo em Ji-Paraná e nos confirmou que essa semana iria resolver a questão jurídica do aeroporto, e que o projeto já dentro dos padrões da ANAC para a instalação da cerca está pronto. O projeto foi feito pela Prefeitura de Ji-Paraná e doado para o DER”, explicou Laerte Gomes.

Ainda sobre a instalação da cerca, o presidente afirmou que também já está trabalhando, junto com o órgão, as questões orçamentárias para a execução da obra.

“O aeroporto corre um sério risco de não poder baixar voos em razão das condições em que ele se encontra. E para ANAC autorizar que o Aeroporto José Coleto possa operar com o IFR, o chamado voo por instrumentos, precisamos resolver essas pendências o quanto antes, e assim, evitarmos situações como a desses voos que chegam até Ji-Paraná, mas precisam voltar para Cuiabá porque não podem aterrissar só no visual”, concluiu Laerte Gomes.

Comentarios

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus idealizadores.